Descubra qual o novo indicador de performance para seus projetos de TI

Por Enginebr
0 Comentário

Hoje, os negócios não podem mais se dar ao luxo de deixar nada para amanhã. O tempo é, agora, o senhor dos nossos dias. Lançar um produto mais cedo pode ser a diferença para se posicionar melhor que a concorrência; alcançar mais vendas. Ser o primeiro pode não ser o suficiente, mas é fundamental.

Diante dessa urgência, nascem e renascem conceitos, frameworks e práticas que auxiliam organizações a criarem e manterem essa cultura competitiva do fazer mais; fazer melhor e no menor prazo. No entanto, como mensurar esses resultados? É nisso que o indicador TtV, Time to Value, ajuda.

Conceito Time to Value

Time to Value é um conceito no ambiente empresarial usado para apontar o “time box” entre a identificação de uma necessidade específica, uma capacidade, um valor para o negócio e o momento em que esse valor começa a ser tangibilizado, efetivado, seja ele quantitativo ou qualitativo. Ou seja, quanto tempo leva para começar a retornar o resultado esperado.

Pois bem, ao invés de se pensar somente de ROI (Retorno do Investimento), VPL (Valor Presente Líquido) ou Payback, considerar o indicador “Time to Value” (TtV) – ou o valor mínimo esperado no menor prazo. Quanto menor o TtV, melhor será o desempenho da solução para o negócio e consequentemente mais cedo o seu payback. Em outras palavras, o negócio irá usufruir do valor entregue pela solução de forma mais rápida.

 

ebook time to value

Time to Value e os Projetos de TI

A TI tem um papel crucial na conquista ou manutenção da excelência operacional. Não basta mais apenas que os projetos da área sejam concluídos no tempo e no budget planejados. É preciso mais. E esse mais é agregar valor ao negócio no menor tempo possível, valor que podemos resumir em 3 alvos fundamentais:

1. Garantir a adoção mais rápida de inovações na base tecnológica que sustenta a empresa, que podem ser postergadas face das necessidades de Capex;
2. Antecipar ganhos operacionais que os projetos tradicionais conquistariam num delta de tempo mais elástico;
3. Possibilitar a antecipação de indicadores de performance do negócio. Exemplos: melhorar tempo de ativação de um novo assinante de serviço; reduzir gastos logísticos (possibilidade: reduzindo taxa de espera de operador logístico).

Isso implica fundamentalmente em mudar a mentalidade da TI, incorporando outras métricas de sucesso, além daquelas mais tradicionais como atendimento de chamados, custos etc. Algumas técnicas, conceitos e tecnologias podem facilitar o gestor de TI a trilhar esse caminho. São elas: computação cognitiva, modelo de licenciamento SaaS, a nuvem, a IoT, a própria Economia Compartilhada e etc…

O que tudo isso significa

O que as áreas de TI precisam estar atentas é à necessidade cada vez maior de velocidade nos projetos e principalmente no inicio do retorno o mais rápido possível dos valores preconizados pela organização.

Esse ambiente de transformação traz imensos desafios. Mas ao mesmo tempo coloca nas mãos de gestores de TI uma série de ferramentas, tecnologias, frameworks que auxiliam seguramente a sair do outro lado.

É preciso garantir acesso mais rápido a inovações; reduzir custos o quanto antes e adicionar ampliar receitas. O mundo mudou. Vencem os mais rápidos e não os maiores. E ser mais rápido para o gestor de TI, pode ter certeza, é SaaS, Cloud, Agile…

A Engine se baseia neste conceito de TtV em seus produtos. Quer adotar uma solução de gestão empresarial na sua empresa? Fale com um de nossos consultores.