Cinco tendências tecnológicas para as Indústrias de Alimentos

Nos últimos anos, a indústria de alimentos e bebidas passou por um grande crescimento. E mesmo em tempos de crise, este é um setor que se mantém aquecido – no Brasil, por exemplo, ele representa parte significativa do PIB. No entanto, com o crescimento também surgem novos desafios: a diversidade maior de produtos, a concorrência mundial, mudanças nos padrões de compra dos consumidores, a consolidação de players globais, segurança alimentar, rastreabilidade, sustentabilidade e regulamentos mais rigorosos entre outras questões são alguns deles.  Diante deste cenário, as empresas precisam inovar, ou seja, começar (a passos largos) a se adaptar às novas tendências tecnológicas.

Por isso e pensando nisso, separamos cinco tendências tecnológicas focadas nas indústrias de alimentos. Confira!

Informação e dados certos na hora certa

Para atender consumidores mais exigentes e também a uma rigorosa regulamentação, atributos como rastreabilidade, garantia de origem, rotulagem informativa, controle de riscos e certificação de qualidade são indispensáveis. Por isso, é importante investir em soluções tecnológicas que, além de suportar as operações básicas de processos de negócios, também oferecem informações precisas.

Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial (IA) já é uma tecnologia usada nas indústrias de alimentos, mas promete ser ainda mais explorada. Principalmente, se a sua empresa sofre com produtos faltando ou sobrando em seu estoque, o que é bem comum no setor. A IA, neste caso, oferece às equipes de planejamento as previsões de demanda de cada elo da cadeia, trazendo capacidade de reação frente ao dinamismo do mercado.

Culturas de células-tronco e impressão em 3D

As empresas voltadas para o futuro estão aumentando a conscientização com comparações entre comida e bebida cientificamente projetadas e cadeia tradicional de fornecimento de alimentos e bebidas. Diante disso, há em andamento uma verdadeira revolução tecnológica, em que empresas estão desenvolvendo soluções para substituir fazendas tradicionais e fábricas com ingredientes cientificamente concebidos e produtos acabados, incluindo culturas de células-tronco e impressão em 3D, para replicar a natureza em ambientes controlados. Obviamente, estes produtos são caros e ainda não possuem disponibilidade comercial, porém é uma tendência para os próximos anos.

Investimento em soluções fiscais

De nada adiantam boas estratégias tecnológicas, se essas não estiverem devidamente alinhadas às regras do Fisco. É preciso pensar na indústria em si, em como se relacionar com os órgãos fiscais, sem perder a preocupação com a imagem formada por essas empresas. Investimentos em softwares empresariais que trabalhem de maneira integrada, facilitando a realização dos processos fiscais são indispensáveis para manter uma boa relação com os diferentes públicos. É importante lembrar que a configuração desses sistemas deve estar adequada ao tipo de fabricação do produto com o qual a empresa trabalha.

Automação da Indústria (Indústria 4.0)

É chegada a hora das indústrias de alimentos começarem a pensar em automatizar suas fábricas. Ou seja, se adequarem à Indústria 4.0. Essa é uma forte tendência para os próximos anos, principalmente com o intuito de ter mais qualidade nos produtos, reduzir custos de produção e cortar desperdícios que podem ser evitados. Uma fábrica integrada pode ajudar (e muito) nesses pontos.

Não é mais suficiente que a tecnologia apenas apoie o negócio, ela também deve impeli-lo. Somente quando os negócios e as estratégias de tecnologia estiverem devidamente alinhados, as indústrias de alimentos e bebidas poderão atingir o valor máximo possível de seus investimentos em software empresarial.

Por isso, é essencial que as indústrias estejam sempre acompanhando as tendências do seu setor. Quer saber mais como as tecnologias atuais podem ajudar a sua empresa? Entre em contato com um de nossos consultores. Aproveite também para ler nosso material de experiência com a Indústria de Alimentos.