O futuro é agora! Como a robótica e a IoT vêm sendo usadas na Indústria de Alimentos

As tecnologias digitais e a conectividade estão mudando o mundo: da forma como nos comunicamos até os processos de fabricação nas indústrias de alimento, por exemplo. De acordo com o relatório anual da ABB, teremos na indústria 26 bilhões de equipamentos conectados até 2020 e cerca de 2,6 milhões de robôs até este o fim deste ano. A Indústria 4.0 abre possibilidades antes jamais imaginadas e permite a flexibilização do ambiente fabril a fim de que as empresas acompanhem e se adequem à tendência de customização na produção.

Essas tecnologias (robótica, IA, IoT, Machine Learning…) já vêm sendo empregadas em muitos ramos industriais, entre eles o de alimentos e bebidas. Isso porque, segundo a ONU, 55% da população mundial já vive em áreas urbanas. Ou seja, este dado faz com que a necessidade de alimentos processados e embalados seja ainda maior, mudando os desafios dessa indústria e alterando completamente os processos de embalagem e paletização.

Para atender essa crescente demanda, o investimento em tecnologias é a solução. Confira como a robótica e a Internet das Coisas (IoT) podem auxiliar neste e em outros desafios da Indústria de Alimentos:

Robótica

A automação na Indústria Alimentícia depende diretamente do tipo de produto produzido. Para os de longa duração, com uma grande economia de escala, ou produtos únicos, soluções automatizadas fixas ou rígidas são apropriadas. Estas podem ser constituídas por robôs ou aparelhos eletromecânicos. Se os produtos são regulares na forma e bem localizados, as soluções simples são suficientes. Contudo, se a forma do produto varia consideravelmente, tem necessidades específicas ou variáveis, a solução de automação será com certeza mais complexa, combinando sistemas eletromecânicos e robôs.

Com isso em mente, as indústrias começaram a constatar o benefício da automação, particularmente na área de embalagem e na paletização. Mais recentemente, a disponibilização de robôs “pick-and-place” altamente eficientes permitiram à automação dar um salto qualitativo e tomar conta de operações com produtos nas linhas de produção. Somado a isto tudo, temos as possibilidades da automação logística, que permite as empresas acelerar processos de distribuição, sendo mais ágeis a chegar aos consumidores.

Muitas empresas aproveitam as cada vez mais inovadoras tecnologias para ganhar competitividade e poupar recursos. Sempre com um objetivo comum: obter uma maior eficiência e melhorar os processos de produção.

Internet das Coisas (IoT)

A Internet das Coisas (IoT) é uma grande parte da Indústria 4.0. Mas, como os fabricantes nas Indústrias de Alimentos podem capitalizar as oportunidades apresentadas e melhorar suas operações com essa tecnologia? De muitas maneiras. Entre elas, utilizando dados de máquinas conectadas, dispensadores, sensores, beacons, câmeras e outros dispositivos inteligentes.

Toda essa aparelhagem ajuda a avaliar a segurança de funcionários e alimentos; checar a produtividade de pessoas e sistemas; analisar os dados e, com isso, monitorar as operações em tempo real; antecipar problemas de maneira proativa; otimizar gastos; gerenciar lucros; reduzir o estoque; minimizar os custos de manutenção do equipamento; entre outros benefícios.

Na prática, a IoT funciona de diversas maneiras. Uma delas, por exemplo, é relativo ao gerenciamento de cadeia fria. Ela monitora a temperatura de perecíveis, fornece relatórios e alertas oportunos, baseados em nuvem para melhorar a segurança dos alimentos, e, com isso, garante a conformidade com os padrões regulamentares e do setor.

Quer que a sua empresa faça parte deste novo modelo de indústria? Dê espaço à transformação digital. Fale com um de nossos consultores para saber como a Engine, empresa especializada em soluções de gestão no modelo SaaS, pode lhe ajudar!

Aproveite para ler sobre nossa experiência com a Indústria de Alimentos!