Como o modelo de referência da Engine pode ajudar as práticas de gestão da Indústria Farmacêutica

modelo de referência

A indústria Farmacêutica possui um dos modelos de negócio mais regulados e normatizados que existe. As exigências dos órgãos reguladores são extremamente rígidas devido à necessidade de redução de riscos à saúde dos consumidores. O sucesso dessa garantia de qualidade resulta de controles e procedimentos fabris, que devem ser cumpridos à risca.

Com o modelo de referência da Engine foi possível aplicar as normas de boas práticas de fabricação (BPF) e as regulamentações, tais como as RDC’s 17 e 33 da ANVISA. Tudo isso em um sistema de gestão integrado, em que a empresa executa seus processos de maneira segura e sustentável, provendo informações às áreas de negócio, como finanças e comercial.

Implementando a solução

Produção por processo: O planejamento de produção, alinhado ao planejamento de vendas e às políticas de estoque, tem sido um diferencial nos nossos projetos. Afinal, ele permite ao PCP executar múltiplos cenários e decidir qual é aquele que lhe possibilita uma maior comodidade. Como resultado de boas reuniões de S&OP, tem-se um plano de vendas estruturado, que reflete imediatamente na configuração e sequenciamento de ordens de produção. Tudo isso de maneira dinâmica e sistemática.

Nosso modelo de referência e o amplo conhecimento em segmentos de processos viabilizou o desenho de parâmetros dentro das soluções de gestão empresarial da SAP. Este diferencial permite o cadastramento das formulações e dos recursos, garantindo o controle tanto do custo, como do consumo de matériaprima. A implantação de funcionalidades específicas, tais como fórmulas que possibilitam o ajuste de princípios ativos de acordo com as variações do ambiente ou pela composição do material, aumentou consideravelmente o índice de apuração correta dos custos.

Gestão da Manutenção: A Engine atua ao lado dos clientes para obter o maior potencial do sistema de controle de manutenções. A elaboração de bons planos de manutenção e a criação das listas de engenharia dos equipamentos são fundamentais para a boa utilização do sistema.

Atualmente, nossos consultores têm auxiliado fortemente nos projetos na visão de negócio. Com isso, conseguimos direcionar os clientes às melhores práticas a serem seguidas.

Gestão de estoques: Com a automatização das movimentações de estoque e com o uso de coletores de dados no armazém, tivemos 40% mais rapidez nas contagens de inventário e mais de 80% nas movimentações entre as áreas. Os processos de estoque automatizados pelo Modelo de Referência Engine propiciou maior Compliance e mais confiabilidade nos saldos de estoque, passando no crivo de grandes auditorias de mercado e clientes.

Vendas e Faturamento: Na indústria farmacêutica há longos períodos de negociação. Isso porque os clientes mudam seus hábitos de acordo com as flutuações do mercado, o que dificulta a previsibilidade. Contudo, é fundamental uma interação ágil com a área de vendas e seus representantes. Por isso, a Engine criou um protocolo de integração. Ele possibilita que as empresas enviem e consultem dados do SAP de maneira rápida e com segurança.

Finanças: Com o objetivo de reduzir o impacto do contraponto gerencial, a Engine obteve sucesso criando um engajamento da área financeira. Para isso, estabeleceu um fluxo de caixa com três visões: planejado, previsto e realizado. Sendo que no previsto já se tem a visibilidade das requisições de compras e pedidos emitidos aos fornecedores.

Principais benefícios

Confira os principais benefícios do nosso modelo de referência:

• Aumento do Compliance e organização;

• Redução do retrabalho e geração de informações manuais;

• Processos organizacionais integrados;

• Maior assertividade na realização das atividades de logísticas, como aquisições mais conscientes, previsibilidade de demandas;

• Comunicação instantânea entre as áreas (base única de informações);

• Aumento da segurança nos processos fabris com o controle por lote e movimentações pelo código de barras do material.

• Redução do risco de baixa qualidade devido ao controle de qualidade sistêmico.

• Agilidade na geração dos laudos e registro de resultados.

• Processos estabelecidos com base em melhores práticas de mercado.

• Validação dos sistemas garantindo a compliance com as RDC’s.

• Mais agilidade e simplicidade nas auditorias externas e internas.

Entre em contato com a Engine para saber mais!